Combinação de nostalgia com performance

Corridas, Eventos - 7 de dezembro de 2017

Circuito dos Cristais, em Curvelo, recebe centenas de veículos antigos em evento realizado durante os quatro dias do feriadão da Independência

 

PUBLICADO EM 13/09/17 – 03h00

ALEXANDRE CARNEIRO – Jornal O Tempo

Para alguns entusiastas, não basta frequentar encontros de carros antigos ou participar de passeios. Eles querem pisar fundo, fazer o motor roncar alto e explorar todo o potencial de suas máquinas. Foram exatamente essas sensações que os participantes do Clássicos nos Cristais, realizado em Curvelo, na região Central do Estado, puderam experimentar durante o feriadão da Independência: entre os dias 7 e 10 deste mês, veículos vintage, das décadas de 1920 a 2000, aceleraram pelo autódromo da cidade.

A primeira edição do evento, que será realizado anualmente, reuniu, segundo os organizadores, cerca de 400 veículos antigos, nacionais e importados, no Circuito dos Cristais, durante os quatro dias do evento. Os participantes foram caracterizados pela diversidade: desde modelos originais, que mantêm há décadas suas características de fábrica, até os customizados hot rods e rat rods, passando ainda por bólidos preparados para competições.

O leque de atividades na pista também foi diversificado. Entre elas, vale destacar a corrida inaugural da Classic Cup Minas Gerais, que proporcionou emoções desde a largada até a última volta. Após uma disputa ferrenha pelo primeiro lugar da categoria até 2.0, com direito a várias ultrapassagens e trocas de posição, a prova foi vencida pelo piloto Humberto Guerra, com um Volkswagen Passat. Erick Grosso, com um Fiat 147, faturou a categoria até 1.6, enquanto Rodrigo Giordano, com uma réplica de Mini Cooper, triunfou na categoria força livre.

Os pilotos também mostraram suas habilidades nas quatro categorias da Crazy Racers. A primeira, destinada a modelos das décadas de 1920 e 1930, foi vencida por Gustavo Lapertosa, a bordo de um valente Ford Modelo A. Na segunda, batizada de “speedster”, o troféu ficou com Pedro Chernichiaro, que competiu com um Ford Speedster. Já a terceira, disputada por hot rods, hot pick-ups e rat rods, terminou com Gilton Bartolomeu, piloto de um Willys Whippet, no degrau mais alto do pódio. Por fim, a quarta categoria, para muscle cars, teve o Ford Cobra de Roberto Pereira Dias como vencedor.

Os carros clássicos também mediram forças na Old Drag Race, um campeonato de arrancada realizado durante aproximadamente quatro horas na reta principal do autódromo, cujo campeão ainda será definido em uma prova futura.

Atividades variadas dentro e fora da pista

Antigomobilistas que preferem guiar suas máquinas com mais calma também marcaram presença no Clássicos nos Cristais. A prova disputada por eles foi o Rally de Regularidade, na qual o objetivo dos competidores não é andar mais depressa que os demais, e sim percorrer o traçado do autódromo em um tempo pré-determinado. Completar as voltas mais rápido ou mais devagar resulta em perda de pontos. A largada lembrou as antigas corridas de 24 Horas de Le Mans, com os carros alinhados a 45° na reta principal do circuito.

No final, os mais precisos foram a dupla Guilherme Ferreira e Felipe David Luiz, a bordo de um Chevrolet Opala Comodoro 1979. Eles receberam o troféu Jan Balder, que homenageia um dos pilotos precursores do automobilismo no Brasil. O próprio Balder, inclusive, esteve presente no evento e fez uma palestra sobre a história do esporte a motor no país. Exposições e passeios na pista completaram as atrações.

 

Instagram